segunda-feira

Mais uma peça (pequena mensagem de Ano-Novo)


A Vida é um Quebra-cabeças. Uma pergunta com infinitas respostas. Uma sinfonia que possui vários meios de continuar, ou terminar. E um ano é apenas um segundo dentro do ciclo interminável do Relógio. E a gente se pergunta: "Por que estamos aqui?" Se estamos aqui, é para alguma coisa. Tão pequenos somos, e podemos ser tantas coisas nesse pequeno instante.

A Vida não começa nem termina: passa. Morte, não há. Tolstói morreu, mas o que ele fez, não. Ele está morto?

Um ano que passa e um ano que vem, é um passo dentro de uma grande dança, um movimento de uma sonata, uma peça no Quebra-cabeças, um capítulo de romance, um amor perdido... Pode ser também apenas um papel amassado no lixo, um lápis quebrado. Bom ou ruim, nele aprendemos alguma coisa. Aprendizado. E nada nunca está totalmente feito. Tudo é integrado ao Espaço Infinito. Nada é em vão. Se existe Deus, nada é em vão. Feliz 2008 a todos e todas.

Lá em cima, Yellow-Red-Blue (1925), de Kandinsky, artista que sabia tudo o que eu falei. (E o que eu sei?)

Saiba sobre Kandinsky

Postar um comentário